Cosméticos Funcionais: Os cosméticos que têm a cara da fisioterapia

Eles foram desenvolvidos para reduzir os efeitos do excesso de contração dos músculos e consequentes rugas faciais

8 de agosto de 2013 por Patricia Froes

O envelhecimento causa uma perda do tônus natural da pele, a flacidez tissular. Sabe-se que os músculos da face se inserem e movimentam a pele, modificando as expressões faciais. A maioria dos músculos se fixa ao osso ou à fáscia e produz seus efeitos por tração da pele (MOORE, DALLEY, 2007).

Há uma serie de cosméticos hoje que foram desenvolvidos para uma ação muscular, principalmente para reduzir os efeitos do excesso de contração dos músculos e consequentes rugas faciais. Esta tração constante da pele exercida pelos músculos, desencadeiam as rugas superficiais e profundas (GUIRRO & GUIRRO, 2004).

As rugas superficiais são aquelas que desaparecem com o estiramento da pele, diferindo das profundas que não sofrem alteração quando a pele é estirada (KEDE; SABATOVICH, 2004). Em ambos os casos, reduzir a contração muscular e, consequente estiramento da pele, reduz a formação destas rugas evitando o processo de envelhecimento.

A ação dos cosméticos funcionais é justamente esta: diferente do Botox, que se trata de uma substancia de efeito paralisante da musculatura (miotoxina), os cosméticos funcionais atuam como moduladores do movimento, reduzindo o numero de contrações musculares, evitando que a pele sofra a ação contrátil que justamente cria as marcas de expressão. Os cosméticos funcionais são neurotoxinas, que atuam em dois lugares, inibindo a transmissão nervosa (pós-sinápticas) ou bloqueando o fluxo de cálcio no axônio (pré-sinápticas).

Dentre novos ativos cosmecêuticos, os peptídeos estão sendo amplamente utilizados em produtos cosméticos, com finalidades de hidratação e antienvelhecimento. O acetil hexapeptídeo-3 foi o primeiro hexapeptídeo pesquisado. Os estudos sobre cosméticos funcionais descontrateis ou relaxantes musculares começaram a surgir nos anos 90, sendo o acetil hexapeptídeo 3 (Argireline®)o mais utilizado, seguido do acetil hexapeptideo 8, desenvolvido atualmente com características parecidas ao primeiro. Posteriormente, foram criados novos cosméticos funcionais como o pentapetideo (Leuphasyl®), que tem efeitos analgésicos e paralisantes, o tripeptídeo sintético (Syn-ake®), parecido ao veneno da serpente Tropidolaemus wagleri, que atua na membrana pós-sináptica através de uma combinação ativa antagonista reversível do receptor da acetilcolina nicotínico muscular (nmAChR). O tri-peptídeo se liga a subunidade do mnAChR evitando a ligação de acetilcolina ao receptor;  por conseguinte mantendo-o fechado. No estado fechado, os íons de sódio (Na+) não são liberados e o músculo permanece relaxado. Em estudos comparando Argireline a 10% e Syn-Ake a 4%, o segundo demonstrou superioridade nos resultados. Finalmente surgiu o Acetil Octapeptideo-3 (Snap 8 ®) que apresenta a mesma proteína do Captropil, medicamento vasoconstritor potente. Através de seus efeitos, ele controla os movimentos voluntários na musculatura.

Diante das diversas opções de cosméticos descontrateis no controle das rugas dinâmicas e prevenção das rugas estáticas, a Fisioterapia Dermatofuncional pode contar com estas ferramentas poderosas dentro do seu rol de tratamentos. A aplicação dos mesmos deve seguir os cuidados quanto a uma análise da mimica facial prévia, a avaliação da necessidade de cada grupo muscular (inibição ou estímulo) e sua relação com a formação das rugas, além de um protocolo individualizado adequado a cada paciente. O conhecimento da biomecânica facial e principalmente da cinesiologia muscular facial, com seus agonistas, antagonistas e sinergistas fazem da aplicabilidade de cosméticos funcionais ou de ação muscular um diferencial do conhecimento de fisioterapeutas Dermatofuncionais, que conseguem associar a funcionalidade muscular ao envelhecimento e a cosmetologia, buscando essencialmente a saúde como seu foco principal e a estética como uma consequência de todo este processo.

Referências:

Kassandra A. Tadini, Mirela D. Gianeti, Patrícia M. B. G. Maia Campos: Efficacy of dermocosmetic formulations containing dimethylaminoethanol (Dmae) and acetil hexapeptide-3- USP, 2008; 1(14):376-380.

Moore, Keith l; Dalley, Arthur F. Anatomia orientada para a clínica. 5 ed.Rio de janeiro: Guanabara Koogan, 2007.

Guirro EC, Guirro R. Fisioterapia Dermato- funcional: fundamentos,recursos, patologias. Barueri-São Paulo Manole,2004.

Sabatovich, O. Kede, MP. Dermatologia estética. São Paulo: Atheneu, 2004.

Mcardle JJ, Lentz TL, Witzemann V, Schwarz H, Weinstein SA, Schmidt JJ. Waglerin-1 selectively blocks the epsilon form of the muscle nicotinic acetylcholine receptor. J pharmacol exp ther. 1999 apr;289(1):543-50.

Di Mambro VM.; Marquele  FD.; Fonseca MJV Avaliação in-vitro da ação antioxidante em formulações antienvelhecimento. Cosmetics e toiletries. 2005;17 (4): 42-47.

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Comentários

comentários